Nico: tristeza e imunidade

Nico é esse querido senhorzinho com cara de bebê! Tem aproximadamente 10 anos e sempre viveu bem com o resto da trupe até que perdeu um de seus companheiros peludos e a partir daí passou a desenvolver lesões de pele bastante importantes, grandes, crostosas, com seborreia seca associada, aumento de linfonodos, principalmente os inguinais, apetite caprichoso com perda de peso e vitalidade, apatia e algumas feridas com secreção nas patas. As tentativas alopáticas não surtiram efeitos, muitos antibióticos e antifúngicos foram tentados e o quadro não se resolvia. A tutora Rejane resolveu então procurar uma outra alternativa pois já estava achando que o Nico ficaria daquele jeito pra sempre e a base de químicas que em breve se refletiriam na saúde de outros órgãos como fígado e rins.

 

Fizemos alguns exames iniciais pra tentar entender quais as possibilidades : sangue, urina, leishmaniose num primeiro momento e em cima desses resultados provavelmente teríamos que fazer uma citologia de linfonodos. Os exames nos mostraram alterações na urina, presença de giardia, negativo pra Leishmaniose. Iniciamos o tratamento dele com homeopatia com foco no jeitão dele (fujão, transtorno por perda de familiar, doçura) e os sintomas mais importantes da manifestação da pele. Trocamos a famigerada ração por refeições naturais balanceadas, um imunomodulador natural, alguns nutracêuticos e VOILÁ! Trinta dias depois recebo um Nico cheio de vitalidade, com a pele melhor, a disposição também, os

O sempre jovem Sr. Nico

linfonodos antes palpáveis agora estavam normais, as feridas que purgavam idem. Iniciamos uma série de 8 aplicações de auto-hemoterapia com o intuito de melhorar ainda mais a imunidade dele e fechar as lesões restantes de pele, e tudo isso orquestrado por um tratamento homeopático focado na essência desse indivíduo! Seguem abaixo as fotos da sequência do tratamento do querido menino Nico! Elas falam por si só!

Existem opções, sempre! Aposte na medicina do indivíduo, naquela que considera cada particularidade do paciente e sua adequação ao meio em que vive e considere sempre aproximá-lo do que é próprio da sua espécie. Existe uma inteligência própria de cada ser orgânico e sutil e ela deve ser realinhada no dia a dia.