Mau humor crônico e convulsões: o caso do velho Joca

Esse é o Joca. Chegou ao consultório em 22/06/13 apresentando convulsões bastante agressivas desde um episódio em que ficou na clínica veterinária por 3 dias pra tirar um RX em maio de 2012. Quando chegou a noite em casa teve o primeiro episódios de convulsão e daí não parou mais. Tomou gardenal de 0,5 até 2 comprimidos. Quando a veterinária mandou aumentar mais ainda porque os episódios não melhoravam, decidiram procurar outra alternativa. Na primeira consulta chegou andando devagarinho, com cuidado e enquanto conversávamos, fez uma convulsão completinha pra mostrar pra tia Carmen! Aproveitei pra examinar ele enquanto convulsionava, pois o cara é bravo, morde só de olhar pra ele e eu não gosto de estressar paciente que convulsiona, que tem problemas cardíacos e que desmaia!

Daí acabou a convulsão e começou a andar ao redor da mesa sem parar!

 

O histórico: Joca sempre foi muito ranzinza e mordedor. A coitada da faxineira que o diga! Depois que começou com as convulsões e a tomar o gardenal ele também passou a ser um voraz devorador de qualquer coisa que estivesse pela frente! Chegou a roubar uma abóbora da fruteira e comeu ela inteirinha! Não dava pra deixar nada no caminho, nem as próprias fezes! Até a água ele mordia, não tomava. Os dedos dos pés das pessoas da família também eram alvo de sua voracidade.


Depois de ver o episódio e conhecer um pouquinho do temperamento do Joca, receitei uma flor pra ele! Uma homeopatia de flor, que era o que cobria os sintomas dos episódios e do jeitão dele. Saiu do consultório com uma receita de flor + comida caseira + nutracêuticos e as tutoras com a esperança de melhorar o quadro do amado Joca. O desmame do gardenal costumo fazer lentamente, diminuindo uma das doses, depois a outra e assim observando os resultados.


Costumo pedir um retorno em 30 dias e lá veio o Joca, todo faceiro, cheirou tudo, mijou por todos os lados lá fora e entrou no consultório e ficou parado na minha frente, e eu fui chegando, chegando e passei a mão na cabeça dele e ele ficou ali, parado esperando mais! Fui aos céus e voltei! Imaginam a alegria de um médico quando isso acontece?

 

Entendem que esse frágil animal estava condenado a se intoxicar de drogas pelo resto da vida sem chances de melhorar com a terapêutica que haviam instituído e insistiam em lhe aplicar? E que o fígado dele ia perder sua função em breve, intoxicado por essas drogas? E que ele nunca mais seria o velho Joca de antes?

 

E por falar em fígado, aproveitei pra mudar a alimentação do peludo pra caseira balanceada, comida viva, cheia de nutrientes e energia! 

 

Joca não avança mais na fruteira, nem nos dedos, nem nas fezes e nem na faxineira! Na doutora também não!

 

Bendita homeopatia!